Família Fonseca

 

Mais uma história de mães que se superaram na maternidade. Como eu fico feliz em fotografar e conhecer mais de perto essas mulheres poderosas, corajosas, inteiras. Dessa vez fui à Brasília fotografar um casamento e mandei um e-mail pra Luanda, velha conhecida de Recife. Lua, sexta vc está livre? Queria saber se, por acasoooo, vc quer ser personagem do meu projeto pessoal sobre mulheres que se superaram na maternidade. Ela super topou.

Saindo do elevador ela já me esperava na porta. Entrei de mansinho, mas fui adentrada, fui imediatamente absorvida por duas criaturas menores que eu (!) saltitando e me puxando e me mostrando guarda-chuvas coloridos. Cheguei na hora do almoço, comida delicia, casa iluminada, leve, muitas pessoas, muitos braços me abraçando, muitos dentes de sorrisos. Não parava de aparecer gente. Não parava de acontecer histórias simultâneas o tempo todo. Muitas cores. Muitas bonecas, desenhos, quadros, vida.

Cheguei, essa é a casa da Luanda e do Pedrinho e seus três filhos: João, Irene e Teresa.

familia_045

Teresa, 2 anos.

familia_004 familia_006 familia_013

Irene, 3 anos.

familia_007 familia_009 familia_012

familia_020  familia_023 familia_026

João, 7 anos.

familia_030 familia_031 familia_035

Tá na mesa! Eu que falei que não ia almoçar fui convencida pela frase: aqui tem muita gente, sempre tem muita comida, VEM! Então, tá, né? Eu não queria perder esse momento…

 

… em família…

familia_048

… com tantas crianças…

familia_050 familia_052

… comendo feito gente grande, sozinhos e acompanhados num caos totalmente organizado e controlado.

familia_053 familia_055

Me jogou na cara como eu não consigo manter UM filho sentado enquanto almoça hahahahaha!

familia_057 familia_059 familia_061

Mas veja bem, é só por hoje, eu sei…

familia_063

Mesmo assim, incrível, uma bagunça lindamente orquestrada.

familia_066

Com direito a sobremesa, porque era sexta-feira.

familia_075 familia_079

E tem vida real. E choro. E manha. E muito dengo. E paciência.

familia_087 familia_090

E jajá passa. Tá tudo certo. É aí, aqui, ali, em todo lugar, tudo igual…

familia_095 familia_096  familia_098 familia_100 familia_102

Vez ou outra ele chega perto…

familia_108

E me mostrou o que tem de mais legal na sua casa: A TOCHA OLÍMPICA que o pai carregou em Barbacena. Confesso que tentei colocá-la na minha bolsa, mas não coube… rsrsrs Mas percebi que na verdade nem era o objeto em si, mas o orgulho que ele sentia de tudo que que aquilo representava, o herói dele, carregou a tocha!

familia_115

E qual dessas medalhas de futebol você gosta mais, João?

- Dessa! Ficamos em segundo lugar, mas foi muito difícil vencer e vencemos! Essa medalha de segundo lugar é a que eu mais gosto, me superei!

Né, Carolina? A gente aprende sempre e principalmente com as crianças.

familia_123

Esse é o Pedrinho Fonseca. O cara que eu conhecia de internet, que escreve, que fotografa, que faz e acontece. Eu fui ali contar a história da mulher dele e como ela equilibra a vida.

familia_124

Foi lindo ver esse bate papo, essas discussões de pai e filho, argumentos, diálogos…

familia_125 familia_126 familia_128

E essas irmãs quase gêmeas?

familia_136  familia_141  familia_144 familia_145

E ela entra em ação. Abaixa, conversa, olho no olho. Explica. Argumenta, fala de novo, de novo.

familia_148 familia_149 familia_150

E fica tudo assim…

familia_156 familia_157 familia_161 familia_163 familia_165 familia_166

É uma mãe-boneca.

familia_169 familia_170 familia_175 familia_176

Uma mãe igual a tantas.

familia_177 familia_178

Luanda já foi minha consultora de moda. E quando eu perguntei e a moda? A resposta foi rápida.

- Que moda?

Luanda virou mãe de três. Se mudou de SP pra Barbacena onde morou só 6 meses, se mudou para Brasília fez curso de doula. Criou o Mamas & Manas com a Tatiana da Família Moderna e juntas elas fazem grupos de apoio a gestantes, mães, famílias, etc. Tudo da maternidade lhe interessa. A sua e a alheia. Sem julgamentos. Com respeito.

O mais difícil é a gente acolher essa nova realidade da nossa vida, ela me disse. Amei muito essa frase dela. ACOLHER. SE ACOLHER.

Como ela consegue? Ela se acolhe. Ela acolhe os outros, ela aceitou sua nova realidade sem dor, o que não quer dizer que não houve sofrimento. Tudo é um processo, são escolhas, são alegrias. Eu, de longe, acompanho tudo pensando: como assim ela não está muito muito cansada. Tem dias que sim, ela está. Como eu e você. Vou contar uma história rápida: ela estava aqui no Rio me dando consultoria, bebemos vinhos, comemos, bebemos mais um pouquinho e quando ela voltou pra SP logo depois descobriu que já estava grávida da Teresa de 3 meses! E eu no mês seguinte eu engravidei do Francisco. E reencontrando ela, quase 3 anos depois, eu pensei no tanto que uma vida muda, em quantas vidas cabem numa vida.

Lua, nós hoje, fazemos a mesma coisa: cuidamos de mulheres. De famílias. De crianças. Cada uma do seu jeito, com nossa força e nossa coragem de ACOLHER (amei isso) a nossa realidade e, ainda digo mais, reconhecendo que ainda somos aquelas, mas somos mais, bem mais do que já fomos!

Eu poderia acabar o post aqui, hahahahah, e dizer OBRIGADA, olhando para essa imagem abaixo, olhos nos olhos. OBRIGADA.

familia_179

Mas como a bagunça continua, vamos nós!

familia_182

Até meu pano de pescoço virou manta da neta da Luanda hahahahaha

familia_186 familia_188

Cansa mas é bom, né? :)

familia_200 familia_202 familia_204 familia_207

Irritadíssima porque tinha que colocar senha hahahahaha!

familia_210

Estava muito bom, mas agora vamos sair, vai rolar um piquenique na pracinha!

familia_212 familia_216

Parecem fadas. Parece mágica…

familia_219

Mas olha, vamos juntar todo mundo pra tia Carol fazer uma foto? Será que dá? :)

familia_225

Mais uma!

familia_226 familia_227

Tá quase lá!!

familia_230

CLICK!! Ta lindaaa!

familia_233 familia_237 familia_238

Um a um saindo… e quem fica é a base. Onde tudo começou.

familia_248

Milhares de anos atrás, quem sabe de quantas vidas…

familia_250

Ele acha ela foda. E ela é.

familia_251 familia_252

Obrigada por terem me recebido! Me acolhido. Por terem sido tão vocês enquanto eu estava aí! Obrigada!

familia_254

Meu post acabou :) maasss como estávamos indo para um piquenique….

familia_256

familia_257 familia_262 familia_265 familia_268 familia_273 familia_275 familia_277 familia_279 familia_280 familia_287 familia_289 familia_290 familia_291 familia_292 familia_293 familia_294

Fecha a porta, Teresa, esse post já está muito grande!!!!

familia_295

Ser Mãe é… ;)

familia_297

 

BEIJO LUA!!!!

:)

_______________________________

5 Comentários

  1. Ju De Mari disse:

    Emocionada com esta história linda, contada desse jeitinho gostoso, com fotos e palavras tão autênticas. Fã total de Pedrinho e Lua. E agora fã tua também, Carol! Menina, e não é que tu usou uma frase que está na minha cabeça o tempo todo: “quantas vidas cabem numa vida?”. Obrigada, obrigada. Beijos

  2. Pamela disse:

    Menina! Que isso, que suspiro dei aqui
    Fiquei apaixonada com as suas imagens, a delicadeza que conseguiu nesse lindo dia e a forma como descreveu tudo o que aconteceu.
    Acompanho essa família a um tempinho e o teu olhar me deu uma visão um pouco mais próxima da realidade dele, vamos vivendo né.
    Parabéns pelo projeto e por essas imagens emocionantes

  3. marina disse:

    Carol! Parabens! Lindas imagens, lindo texto! Me senti quase que lá, com vocês … na real, na vida, acolhida <3 Beijoca

Comente

Seu endereço de email não será publicado.

Comente com Facebook